O que é reduzir para metade? foto
Início > Blog > O que é reduzir para metade?

O que é reduzir para metade?

34793 min. para ler

    Como funciona o halving do Bitcoin?


    Para entender como funciona o halving do Bitcoin, primeiro você precisa saber o básico de como a criptomoeda é criada.

    Os Bitcoins surgiram por meio de um sistema descentralizado, no qual pessoas conhecidas como mineradores usam sistemas de computador de alta potência para resolver quebra-cabeças criptográficos a fim de verificar e validar transações no livro-razão do Bitcoin, conhecido como blockchain. Em troca, eles recebem o pagamento na forma de bitcoins recém-criados.

    A mineração de Bitcoin é uma espécie de competição. Os mineradores estão essencialmente correndo para serem os primeiros a adicionar novos blocos ao blockchain. Para cada bloco adicionado, eles recebem um certo número de novos bitcoins como recompensa. O criador do Bitcoin programou a recompensa do bloco para ser cortada pela metade em intervalos regulares.

    A recompensa pela mineração de um bloco é reduzida pela metade a cada 210.000 blocos adicionados. Atualmente, leva cerca de quatro anos para adicionar tantos blocos, então a redução do Bitcoin pela metade vem ocorrendo em intervalos de aproximadamente quatro anos. A última e terceira redução pela metade ocorreu em maio de 2020. A próxima está prevista para 2024.

    Teoricamente, uma vez criados 21 milhões de bitcoins, nada mais será produzido.

    “Assim como há uma quantidade limitada de ouro na Terra, a quantidade de Bitcoin é limitada a 21 milhões”, diz Buchi Okoro, CEO da Quidax, uma bolsa africana de criptomoedas. “Você quase poderia pensar no Bitcoin como um recurso natural, mas para a internet. É por isso que é chamado de ‘ouro digital’”.

    Por que ocorrem as reduções do Bitcoin pela metade?


    Embora quem realmente criou o Bitcoin permaneça um mistério, acredita-se que a plataforma foi montada de uma forma que a tornaria uma moeda deflacionária — com poder de compra que aumenta com o tempo.

    Com as metades resultando na diminuição das recompensas de mineração, a criação de novos bitcoins torna-se uma proposta cada vez mais cara. Com o passar do tempo, cada moeda se torna cada vez mais valiosa. Isto contrasta com moedas como o dólar americano, que invariavelmente perdem o seu poder de compra ao longo do tempo.

    Se o Bitcoin é realmente um ativo deflacionário permanece em debate.

    “Se o Bitcoin fosse aceito como pagamento de bens e serviços, poderia ser interpretado dessa forma”, explica Daniel Waterloo, professor adjunto de tecnologia industrial e gestão no Instituto de Tecnologia de Illinois. “No entanto, a maioria das empresas não aceita Bitcoin como forma de pagamento, então esta pode não ser uma boa maneira de medir seu valor deflacionário.”

    Em vez disso, o valor do Bitcoin está mais ligado à economia onde se conecta ao “mundo real”, como o custo da eletricidade necessária para extrair os blocos e a disposição das pessoas em pagar pelos bitcoins que são a recompensa por esse trabalho. segundo Waterloo. “O Bitcoin é então deflacionário no sentido de que, com o tempo, menos moedas estão disponíveis para pagar uma conta de eletricidade relativamente fixa, então cada moeda precisa valer mais do que as moedas anteriores (antes do evento de redução pela metade)”, diz ele.

    Outra teoria para a lógica por trás do halving do Bitcoin é que o criador da criptomoeda queria que uma proporção maior de moedas fosse gerada desde o início para atrair as pessoas a ingressar na rede como mineradores.

    O que acontece com os preços do Bitcoin durante o halving?


    Os dados históricos mostram uma correlação entre o halving do Bitcoin e os aumentos no preço do Bitcoin. É claro que o preço é afetado não apenas pelas reduções para metade, mas por uma série de fatores. Aqui está um resumo do que aconteceu nos três primeiros eventos de redução pela metade:

    Primeira redução pela metade: No momento da primeira redução pela metade, em novembro de 2012, o preço do Bitcoin era de cerca de US$ 11. Em um ano, aumentou cem vezes.
    Segunda redução pela metade: Em julho de 2016, a rede Bitcoin atingiu a marca de 420.000 blocos, desencadeando uma segunda redução pela metade. O preço do Bitcoin oscilou entre US$ 500 e US$ 1.000 por alguns meses e, finalmente, subiu para cerca de US$ 20.000 em dezembro de 2017.
    Terceira redução pela metade: A terceira redução pela metade aconteceu em maio de 2020, coincidindo com outra corrida de alta para a criptomoeda. No momento deste halving, o Bitcoin era negociado a cerca de US$ 9.000. Subiu para cerca de US$ 30.000 no final do ano.
    “No início do ciclo de adoção do Bitcoin, a correlação entre preço e taxa de mineração era profunda”, diz Tom Frazier, CEO do Redivider Blockchain, um fundo de mineração de Bitcoin. “Hoje e na maturidade do Bitcoin, cada redução pela metade provavelmente terá cada vez menos impacto no preço, especialmente à medida que mais países adotam a criptomoeda e uma infraestrutura tecnológica e regulatória mais estável é implementada.”

    Quanto ao aspecto deflacionário do Bitcoin, podemos olhar para a história em busca de contexto, de acordo com Tracy Levine, Chefe de Análise de Dados e Ciência de Decisão da Câmara de Comércio Blockchain.

    “Apenas três das 64 reduções totais programadas para ocorrer antes de 2140 ocorreram”, diz Levine. “Se a tendência de máximos e mínimos mais elevados após o halving continuar, o preço futuro do Bitcoin também deverá continuar a servir como uma proteção inflacionária contra outras representações de valor que podem ser infladas arbitrariamente.”

    O que acontece depois que o número máximo de bitcoins for emitido?


    A última redução pela metade está prevista para ocorrer em 2140, após o qual as recompensas em bloco não serão na forma de bitcoins. Em vez disso, os mineradores serão recompensados com taxas dos usuários da rede, as pessoas que compram e vendem bitcoins, para que sejam incentivados a continuar processando transações na blockchain.

    A conclusão financeira


    O halving do Bitcoin é um evento muito aguardado que vem acontecendo em intervalos de aproximadamente quatro anos, com o primeiro ocorrendo em 2012. Faz parte da programação subjacente à moeda virtual manter sua oferta total fixa. esteja ciente das reduções do Bitcoin pela metade, pois elas historicamente causaram flutuações significativas no preço. A próxima redução pela metade está prevista para 2024.

    Avatar

    Eugen Tanase

    Diretor de Operações, 1BitUp

    Eugen Tanase é Diretor de Operações da 1BitUp. Ao longo da sua longa carreira em Gestão Empresarial, ganhou muita experiência em Projectos de Energias Renováveis, Comércio Transnacional de Recursos Energéticos, e muitos outros campos. A partir de 2015, ele entrou no estudo de Aplicativos Descentralizados e Blockchain junto com o Bitcoin mainstream. A partir de 2017, abraçou a WEB3 e a mineração em nuvem.

    0

    0 comentários

    Posts populares

    Posts populares